AMAZONAS E ALAGOAS ADEREM AO PROGRAMA ACOLHE

Acordos foram assinados nas últimas semanas para fortalecer as redes de apoio e proteção às populações femininas locais.

Com o objetivo de expandir as redes regionais de proteção à população feminina, oferecendo serviços de abrigamento e assistência social, psicológica e jurídica, bem como a capacitação profissional desse público para a conquista da autonomia e a quebra do ciclo de violência, o Programa Acolhe chega a mais dois estados brasileiros: Amazonas e Alagoas. A parceria, que prevê a participação do Instituto Avon e do Grupo Accor,  vem somar esforços aos trabalhos de proteção realizados localmente, colaborando para o enfrentamento às violências contra as  meninas e mulheres.

Ao todo, o programa já ofereceu 1.152 diárias para abrigamento temporário de meninas, mulheres e seus dependentes em 200 municípios espalhados por 18 estados brasileiros.

 

Acolhe no Amazonas

 

O termo de cooperação para implantação do programa no estado foi assinado entre o Governo Estadual, o Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos (MMFDH), o Instituto Avon e o Instituto para o Desenvolvimento Sustentável. As amazonenses em situação de violência e seus dependentes terão acesso à hospedagem completa em hotéis da rede Accor por até 15 dias e, principalmente, contarão com acompanhamento social, jurídico e psicológico para que possam alcançar um futuro de autonomia e protagonismo.

 

Para mudar a realidade de mulheres em situação de violência doméstica, precisamos fortalecer a rede de apoio e ampliar o acesso delas ao atendimento humanizado, que possa ampará-las em um momento tão delicado de suas vidas. O Programa Acolhe foi desenvolvido para oferecer suporte ao sistema público, contribuindo com abrigamento e um serviço qualificado de assistência psicológica e social”, explicou Regina Célia Barbosa, gerente de Causas do Instituto Avon.

 

A iniciativa será coordenada pela Secretaria de Justiça, Direitos Humanos e Cidadania (Sejusc), por meio da Secretaria Executiva de Políticas para Mulheres da (SEPM). Além de Manaus, deve beneficiar outros seis municípios do Amazonas que já possuem o Serviço de Apoio à Mulher, Idoso, Criança e Pessoa com Deficiência (Samic): Itacoatiara, Tefé, Maués, Parintins, Humaitá e Tabatinga. Conforme dados da Secretaria de Segurança Pública (SSP-AM), até janeiro de 2019, Manaus contabilizou aumento de 73% no número de casos de violência contra mulheres registrados na cidade, em comparação com o mesmo período de 2018.

 

O acordo deve contribuir não só para prevenção da violência contra meninas e mulheres, mas também na quantificação de crimes dessa natureza.

 

Acolhe em Alagoas

 

O Governo do Alagoas e a Secretaria de Estado da Mulher e dos Direitos Humanos (SEMUDH) assinaram o acordo de cooperação para a implementação do Programa Acolhe na região no último dia 05 de julho, com a presença de Renata Rodovalho, Coordenadora de Parcerias do Instituto Avon; Ana Costa, Vice-presidente de Assuntos Jurídicos e Relações Governamentais da Natura &Co para América Latina; Maria Silva, Secretária de Mulher e dos Direitos Humanos do Estado de Alagoas; Marina Dantas, Primeira-dama do Estado de Alagoas; Dilma Pinheiro, Presidente do Conselho Estadual de Defesa dos Direitos da Mulher (CEDIM) e Superintendente da SEMUDH; Cristiane Pinheiro, Comandante da Patrulha Maria da Penha; e Maria Silva, Secretária de Estado da Mulher e dos Direitos Humanos.

 

A coordenação ficará a cargo da Secretaria de Estado da Mulher e dos Direitos Humanos de Alagoas, tendo Maceió e Arapiraca como pontos focais do programa no estado e direcionamento dos casos de outros municípios às regiões mais próximas.

 

A parceria que hoje estamos firmando vai beneficiar não só a vítima, como também seus dependentes. A violência, que atinge a mulher independente de raça, gênero ou classe social, é um reflexo de uma sociedade impregnada com o machismo, com a misoginia e com a percepção errônea de que as mulheres são o sexo frágil. A mulher é a base de toda a família, e é com essa força que conseguiremos ajudar muitas delas a se recuperarem do trauma e trilharem novos caminhos”, destacou a secretária Maria Silva em entrevista ao portal Aberje.

 

Segundo o Anuário Brasileiro de Segurança Pública de 2022, o estado de Alagoas registrou aumento de 23,5% de casos de estupro em 2021. No comparativo, foram 676 ocorrências em 2020 e 835 no ano passado.